Justiça dá 48 horas para Idaterra demarcar área para índios

O Tribunal Regional Federal da Terceira Região, com sede na capital paulista, deu 48 horas de prazo para as autoridades de Mato Grosso do Sul, colocar um ponto final no conflito entre 3.200 índios e 14 fazendeiros, que acontece desde o dia 22 de dezembro do ano passado nesta cidade. A medida judicial dá o prazo de 48 horas para que o Idaterra (Instituto do Desenvolvimento Agrário, Assistência Técnica e Extensão Rural) demarque as três áreas nas fazendas determinadas para montar o acampamento dos guaranis em Japorã, indicando para tanto as fazendas Paloma, Remanso Guassú e São Jorge.O mandado obriga o cumprimento de um acordo fechado entre os kaiowás e o presidente da Funai (Fundação Nacional doÍndio), Mércio Pereira Gomes, no final do mês passado. Ficou combinado que os índios ficariam concentrados em áreasdistantes das sedes, em três fazendas, deixando completamente desocupadas as outras onze. Logo depois que os invasoresiniciaram a mudança para os acampamentos, surgiram contradições sobre o tratado e apenas seis imóveis foram entreguespelos índios aos fazendeiros. A demarcação pelo Idaterra serve para estabelecer limites evitando novos confrontos e permitindo que os fazendeiros trabalhem normalmente em suas propriedades rurais, inclusive nas três utilizadas para os acampamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.