Justiça concede habeas corpus a sobrinho do governador do Acre

Thiago Viana, que trabalha no governo do Estado, foi preso por suspeitas de envolvimento em esquema de fraude de licitações

Itaan Arruda - especial para O Estado

17 de maio de 2013 | 13h27

Rio Branco - A ministra do Superior Tribunal de Justiça, Maria Thereza de Assis Moura, concedeu habeas corpus ao diretor de Análises Clínicas da Secretaria de Estado de Saúde, Thiago Viana Neves Paiva, sobrinho do governador Tião Viana (PT). Thiago Viana foi preso durante a Operação G7 da Polícia Federal, na semana passada. A investigação policial apresentou indícios de prática de corrupção ativa, passiva, desvio de recursos públicos, formação de cartel, fraude em licitação pública.

 

Além do sobrinho do governador, Tiago Viana, que é diretor de Análises Clínicas da Secretaria do Estado de Saúde, foram presos na operação o secretário de Obras, Wolvenar Camargo, o diretor-presidente do Departamento de Pavimentação e Saneamento, Gildo César (que tem status de secretário), o ex-secretário de Habitação, Aurélio Cruz, exonerado no início do ano, e o secretário adjunto de Desenvolvimento e Gestão Urbana da prefeitura de Rio Branco, Assuranipal de Mesquita. Dos 15 presos na operação, pelo menos nove são homens de confiança do governador e do ex-governador e atual senador Jorge Viana (PT-AC) - que também não figura entre os investigados.

 

A quadrilha, segundo a PF, era investigada desde 2011. Em apenas seis contratos, no valor de R$ 40 milhões, eles teriam provocado um rombo estimado em R$ 4 milhões aos cofres públicos. Conforme as investigações, o grupo, organizado em cartel, burlava concorrências e superfaturava contratos de pavimentação e obras de habitação. Parte dos suspeitos, incluindo o sobrinho do governador, é investigada também por fraude de contratos da Saúde.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
operação g7tião vianaacre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.