Justiça começa a ouvir hoje testemunhas do mensalão

Ao todo, serão inquiridas 96 testemunhas por dez dias - dez audições diárias até o dia 4

AE, Agencia Estado

25 de maio de 2009 | 10h54

A Justiça Federal de São Paulo começa a ouvir nesta tarde, na 2ª Vara Criminal Federal, na capital paulista, as testemunhas de defesa na ação que apura a suposta venda de votos no Congresso, conhecido como mensalão. Ao todo, serão inquiridas 96 testemunhas por dez dias - dez audições diárias até o dia 4. No dia seguinte, serão seis oitivas. O depoimento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso está marcado para sexta-feira. Os depoimentos ocorrerão a portas fechadas.

Também estão entre as testemunhas o uruguaio Najun Azario Flato Turner; o ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP); os publicitários Nelson Biondi e Nizan Guanaes; o ex-ministro da Justiça Márcio Thomas Bastos; o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP); o secretário extraordinário para Reformas Econômico-Fiscais, Bernardo Appy; o jornalista Ricardo Kotscho, ex-secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República; e o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira.

De acordo com a Justiça Federal, as datas dos testemunhos foram fixadas segundo determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), onde corre o processo. A Corte remeteu uma carta de ordem para que a Justiça Federal paulista ouça as testemunhas. Por meio desse documento, um juiz de hierarquia superior determina que outro de graduação inferior realize o ato necessário na ação - neste caso, a tomada de depoimentos.

Mais conteúdo sobre:
mensalãodepoimentosSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.