Justiça bloqueia R$ 545 milhões do Opportunity

A Justiça Federal decretou bloqueio de R$ 545,79 milhões do Opportunity, alvo maior da Operação Satiagraha - que apontou o sócio-fundador do grupo, Daniel Dantas, como envolvido em suposto esquema de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha. O seqüestro de valores tem base em rastreamento do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), unidade do Ministério da Fazenda que detecta movimentações atípicas no sistema bancário.Os técnicos do Coaf identificaram duas transferências nessas condições, uma de R$ 10 milhões realizada pelo executivo Dório Ferman, presidente do Banco Opportunity, e outra feita pela própria instituição, no montante de R$ 535,79 milhões, repassados para o BNY Mellon Serviços Financeiros DTVM S.A., sediado no Rio, no mesmo prédio que abriga a companhia de Dantas.No dia 2, por meio do Relatório de Inteligência Financeira nº 2.436, o Coaf informou o Ministério Público Federal que tinha identificado ?atividades suspeitas de lavagem de dinheiro? que envolveriam Daniel Dantas e Dório Ferman. A mulher de Dantas, Maria Alice Carvalho Dantas, uma irmã dele, Verônica Dantas, e Norberto Aguiar Tomaz, homem de confiança do banqueiro, segundo a Polícia Federal, também são citados no documento.Alertado pelo Coaf sobre a migração do dinheiro, o procurador da República Rodrigo de Grandis requereu medida cautelar de confisco dos valores. O juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, acolheu o pedido e ordenou o bloqueio dos valores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.