Justiça bloqueia fundos nos EUA para réus da Satiagraha

A Justiça Federal determinou hoje que os réus da Operação Satiagraha, Daniel Dantas, Verônica Valente Dantas e Dório Ferman e representantes do Banco Opportunity, não movimentem os fundos que estavam bloqueados nos Estados Unidos até o mês passado. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), se novas movimentações ocorrerem, serão caracterizados crimes de lavagem de dinheiro, com uma multa diária estipulada de R$ 1 milhão em caso de desobediência, com eventual decretação de prisão preventiva dos acusados.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

06 de agosto de 2010 | 11h46

A nova decisão judicial brasileira já foi comunicada ao Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional (DRCI), responsável formal pelo contato com as autoridades norte-americanas. A determinação foi feita pelo juiz federal Marcelo Costenaro Cavali, substituto da 6ª Vara Federal de São Paulo, Especializada em Lavagem de Dinheiro e Crimes Financeiros. Os réus devem se abster de realizar qualquer movimentação dos valores, em nome da offshore Tiger Eye Investments Ltd., que estavam bloqueados nos Estados Unidos até o mês passado.

Os ativos da Tiger Eye haviam sido bloqueados nos EUA em janeiro de 2009 após o MPF, por intermédio do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional (DRCI), do Ministério da Justiça, ter pedido a cooperação do Departamento de Justiça norte-americano (órgão equivalente ao MPF). Segundo o MPF, em tais contas estão depositados recursos oriundos de crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.