Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Justiça bloqueia contas da Finatec a pedido do interventor

Fundação é suspeita de ter gastos incompatíveis com a atividade científica; plano sai em 15 dias

19 de fevereiro de 2008 | 09h00

A Justiça acatou na noite desta segunda-feira, 18, pedido do interventor Luiz Augusto Souza Fróes e bloqueou as contas bancárias da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), de acordo com a Globo News. A Finatec, ligada à Universidade de Brasília (UnB), é acusada de fazer gastos incompatíveis com a atividade científica. Veja também: Reitor deixa apartamento da UnB após reforma polêmica  Justiça afasta cinco diretores da Finatec, ligada à UnB  Especial - Entenda a crise dos cartões corporativos  O interventor da Finatec tem 15 dias para apresentar o plano de trabalho à Justiça. O administrador Luiz Augusto Fróes já foi interventor em outras duas fundações universitárias e deve fazer auditoria nas contas. Há suspeitas de que irregularidades ocorram desde 1999. A Finatec é acusada de fazer gastos incompatíveis com a atividade científica. Segundo a promotoria, suas contas são reprovadas desde 1999 e a maior parte das suspeitas recai sobre os contratos com órgãos públicos. Vinculada à Universidade de Brasília (UnB), a fundação teria gasto R$ 470 mil para a compra de um carro de luxo e para decorar o apartamento do reitor da UnB, Timothy Mulholland. A lista de compras inclui três lixeiras por R$ 2.738, equipamentos de TV e som por R$ 36.603, quadros por R$ 21.600 e 16 vasos de plantas por R$ 7.264. Depois da denúncia de que houve uso indevido de recursos públicos, o reitor deixou o imóvel.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões corporativosFinatecUnB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.