Justiça avalia bloqueio de bens de Edmar Moreira

A Justiça do Trabalho de Campinas avalia pedido da Procuradoria Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas) de bloqueio de bens pessoais do corregedor e segundo-vice-presidente da Câmara, Edmar Moreira (DEM-MG). Em novembro de 2008, a juíza da 3ª Vara Trabalhista de Campinas, Ana Flávia de Moraes Garcia Cuesta, decretou o bloqueio de nove bens da F. Moreira Empresa de Segurança e Vigilância Ltda., uma das três empresas do deputado.A juíza reiterou ao Ministério Público Federal em Campinas a importância de comprovar que os bens bloqueados não dariam para quitar os débitos trabalhistas da empresa, avaliados em R$ 10 milhões, segundo informações da Procuradoria.A F. Moreira virou alvo de investigação da Justiça em 2006, quando o Ministério Público do Trabalho em Campinas recebeu denúncia do Sindicato dos Vigilantes pelo não-recebimento de salário e de verbas rescisórias. Em junho do mesmo ano, foi instaurado inquérito civil para a investigação de ao menos 1.500 demissões sem pagamento de rescisão. Procurado pelo Estado, o deputado não foi localizado - seu gabinete na Câmara permaneceu fechado ontem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.