Justiça autoriza João Paulo a trabalhar fora da prisão

O juiz Vinicius Santos Silva, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, autorizou o ex-deputado federal João Paulo Cunha a trabalhar fora do complexo penitenciário da Papuda. João Paulo cumpre pena no regime semiaberto por participação no esquema do mensalão. Nesse sistema, o preso pode deixar a penitenciária durante o dia para trabalhar, mas tem de retornar ao final do expediente para a prisão.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

01 de abril de 2014 | 22h05

"É sabido que o benefício de trabalho externo, além de ser fundamental para ressocialização do sentenciado, o que em última análise configura o desígnio da execução penal, é compatível com o regime semiaberto", afirmou o juiz na decisão.

João Paulo não será o primeiro condenado no processo do mensalão a trabalhar fora do complexo penitenciário da Papuda. Outros réus já desempenham funções em estabelecimentos como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e restaurante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.