Agência Estado
Agência Estado

Justiça afasta por 90 dias governador de Rondônia do cargo

Ivo Cassol é acusado de improbidade administrativa pelo Ministério Público; vice deve assumir em 48 horas

28 de maio de 2009 | 18h42

A Justiça Federal decidiu afastar por 90 dias do cargo o governador de Rondônia, Ivo Cassol. A decisão foi tomada com base em pedido do Ministério Público Federal no Estado em ação de improbidade administrativa contra o governador e mais cinco pessoas, informa o site do MPF: dois delegados e dois agentes da Polícia Civil de Rondônia . Em nota, o governo de Rondônia diz que Cassol não foi notificado da decisão e que ele vai recorrer da decisão.

 

Ainda segundo a decisão, o vice-governador, João Cahulla, deve assumir o governo do Estado num prazo de 48 horas após ser notificado da decisão. O secretário de Segurança Pública também receberá uma notificação para que, em 48 horas, recolha as credenciais e as armas dos dois delegados e dois agentes da Polícia Civil, informa o site.

 

Leia a íntegra da nota:

 

- Até o presente momento, o Governador Ivo Cassol não foi oficialmente notificado pela Justiça, portanto permanece no cargo normalmente;

 

- Os recursos jurídicos de direito que cabem ao Governador Ivo Cassol já foram providenciados com os fundamentos éticos, legais e morais que os embasam;

 

- Todos os entendimentos da assessoria jurídica convergem para a concessão de liminar anulando a decisão do magistrado, uma vez que as há conflitos entre as doutrinas e não há qualquer ameaça à ordem pública ou ao andamento do processo;

 

- Por fim, o Governador Ivo Cassol está sereno e consciente de que esta é mais uma fase na sua história política que será superada, e que a justiça prevalecerá.

Tudo o que sabemos sobre:
governador de RondôniaIvo Cassol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.