Justiça afasta desafeto de Garotinho da prefeitura de Campos

A sete dias do segundo turno das eleições em Campos, berço político da família Garotinho, o prefeito Arnaldo Vianna (PDT) foi afastado do cargo por decisão da Justiça do Rio. Ex-aliado e hoje adversário do ex-governador Anthony Garotinho, Vianna deverá ceder a cadeira ao vice-prefeito, Geraldo Pudim, candidato apoiado pelo ex-governador. Ainda cabe recurso.A notícia foi anunciada em rádios da cidade pelo irmão de Garotinho, Nelson Nahim, vereador do PMDB. Cabos eleitorais de Pudim comemoraram a decisão com fogos de artifício. Vianna e Carlos Alberto Campista (PDP), candidato apoiado pelo prefeito afastado, não comentaram a decisão. Segundo assessores, os dois darão entrevista coletiva amanhã, em Campos.O desembargador Roberto Cortes, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado, suspendeu a liminar que mantinha Vianna no cargo. Ele aceitou pedido feito pelo Ministério Público, que entrara com mandado de segurança contra decisão do desembargador Antônio Siqueira, que no dia 15 havia concedido efeito suspensivo ao agravo regimental interposto pelos advogados do prefeito contra decisão do desembargador Renato Simoni. Cortes tornou sem efeito a liminar e devolveu a apreciação do agravo para a 9.ª Câmara Cível, a quem caberá julgar eventual recurso.Vianna é acusado de improbidade administrativa em ação civil pública movida pelo MP. Motivo: superfaturamento em shows promovidos pela prefeitura. Na decisão, o desembargador argumentou que o Órgão Especial "não pode se transformar em instância revisora das decisões tomadas pelas Câmaras, salvo raríssimas exceções."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.