Justiça adia julgamento de autorização para CPI da Assembleia de GO investigar prefeituras

Nova data será definida para a análise do recurso protocolado pela Procuradoria da Assembleia

Rubens Santos, especial para O Estado de S. Paulo

09 de janeiro de 2013 | 20h06

GOIÂNIA - O Tribunal de Justiça de Goiás adiou nesta quarta-feira, 9, o julgamento do pedido de autorização para a CPI do Cachoeira, instalada na Assembleia Legislativa, investigar supostas irregularidades na contratação da Delta Construções por prefeituras vinculadas ao PT e o PMDB. O julgamento, conforme o TJ, foi adiado por causa da ausência do relator, desembargador Alberto França, que está em férias. Uma nova data será definida para a análise do recurso protocolado pela Procuradoria da Assembleia, que tenta ter acesso às contas das administrações municipais que contrataram a construtora.

A CPI, instalada em maio do ano passado e prorrogada para 2013, busca o acesso legal às contas bancárias de cinco prefeituras: Goiânia (PT), Anápolis (PT) e Aparecida de Goiânia (PMDB), cujos prefeitos foram reeleitos em 2012. Mais Catalão e Águas Lindas, que passaram das mãos do PMDB-PT para o PSDB e PTB em outubro.

A comissão estadual foi criada na esteira da Operação Monte Carlo, que levou à prisão o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O objetivo era apurar ligações de agentes públicos com o contraventor e possíveis irregularidades em contratos firmados pelas prefeituras goianas com a Delta entre 1995 e 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
CPIGoiásDeltaTJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.