Justiça acolhe ação contra ex-superintendente do Incra

A Justiça Federal acolheu ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal no Piauí (MPF/PI) contra o ex-superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Piauí, Ladislau João da Silva, conhecido como Padre Ladislau. As ações têm como base relatório da Auditoria Nacional do Incra feita em 2005.

EQUIPE AE, Agencia Estado

09 de janeiro de 2010 | 11h08

A ação do MPF também recai sobre o funcionário do Incra, Francisco Sales Pinto, o Instituto de Terras do Piauí (Interpi) e sua representante legal, Fernanda Almeida Moita. O juiz federal Nazareno César Moreira Reis, a 1ª Vara Federal do Piauí, acolheu a ação por entender que os documentos constantes nos autos são suficientes para apontar ou sugerir a existência de indícios de atos de improbidade.

Os acusados responderão, entre outros pontos, por movimentação ilícita de verbas públicas e prestação insatisfatória de contas. As irregularidades somam um prejuízo de mais de R$ 2,5 milhões aos cofres públicos.

Outras sete ações de improbidade administrativa também foram movidas pelo MPF contra o ex-superintendente e mais 14 pessoas, entre funcionários do Incra e responsáveis pelas entidades conveniadas, que aguardam o recebimento pela Justiça Federal.

Tudo o que sabemos sobre:
PiauíIncra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.