Justiça aceita denúncia contra 8 suspeitos na Operação Déjà Vu

PF desbaratou esquema que comprava e transferia agências franqueadas dos Correios mediante extorsão

Gustavo Uribe, da Agência Estado

13 de fevereiro de 2009 | 16h40

A Justiça Federal acatou denúncia do Ministério Público Federal e abriu processo nesta sexta-feira, 13,  contra oito envolvidos na Operação Déjà Vu, esquema desbaratado pela Polícia Federal no ano passado e que comprava e transferia agências franqueadas dos Correios mediante extorsão. Os acusados respondem ao processo em liberdade pelos crimes de extorsão, formação de quadrilha e corrupção ativa, entre outros. De acordo com as investigações da Polícia Federal (PF), que duraram cerca de um ano, a quadrilha comprou pelo menos duas agências franqueadas mediante extorsão em duas cidades do interior do Estado. Sete dos oito envolvidos no processo, segundo a PF, faziam parte de um grupo liderado pelos empresários Alex Karpinscki e Antonio Luiz Vieira Loyola, donos de duas agências dos correios. Segundo o MPF, os acusados extorquiam donos de agências com a ameaça de que, caso o estabelecimento não fosse vendido a determinada pessoa por R$ 100 mil, valor muito abaixo do de mercado, a agência seria descredenciada e as vítimas perderiam tudo.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Déjà Vu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.