Jurista

Carlos Ari Sundfeld afirma que a Lava Jato expõe a necessidade de uma reforma administrativa na qual o gestor ligado às contratações públicas tenha melhor qualificação, não seja engessado, tenha uma gestão com prazo de validade, passe por um critério de seleção, seja melhor fiscalizado, entre outras medidas. Ele analisa os limites da Lei de Licitação 8666 e o regulamento de contratos da Petrobrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.