Júri do Pará condena fazendeiros a 19 anos de prisão

Os fazendeiros Vantuir Gonçalves de Paula e Adilson Carvalho Laranjeira, ex-prefeito de Rio Maria, no sudeste do Pará, foram condenados no começo da noite desta sexta-feira a 19 anos e dez meses de prisão como os mandantes da morte, em 1985, do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais daquele município, João Canuto de Oliveira.Por serem réus primários, eles ficarão em liberdade até o julgamento da apelação. Os executores do crime, que mataram Canuto com 19 tiros, nunca foram identificados e presos. A decisão dos jurados foi comemorada dentro e fora do Tribunal de Justiça por sindicalistas, representantes de direitos humanos e familiares de Canuto.Na rua em frente ao TJ, fogos estouraram logo depois de o juiz Roberto Moura ler a sentença. O advogado Sílvio Souza, defensor dos fazendeiros, anunciou que recorrerá contra a decisão, alegando não haver provas contra os acusados. "Foi feita a justiça, mas em parte. Se a polícia tivesse apurado os outros crimes praticados por esses fazendeiros, eles hoje não seriam réus primários e nem estariam em liberdade para recorrer contra a decisão", afirmou Luzia Canuto, filha da vítima.

Agencia Estado,

23 de maio de 2003 | 19h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.