Juri de acusado de matar sem-terra é adiado novamente

O Tribunal do Júri de Loanda, a 480 quilômetros de Curitiba, no noroeste do Paraná, adiou nesta quinta-feira, 21, pela terceira vez, o julgamento de José Luís Carneiro, acusado de ter matado o líder sem-terra da região Sebastião da Maia, em 21 de novembro de 2001. O advogado de defesa foi apresentado somente nesta quinta e pediu o adiamento para tomar conhecimento do processo. A nova data foi marcada para 24 de outubro.Nas duas primeiras vezes, o júri foi adiado em razão da desistência dos advogados de defesa. "Achamos que essa é uma manobra, pois foi utilizada pela terceira vez", afirmou o advogado da ONG Terra de Direitos, Darci Frigo. "Vamos pedir à Ordem dos Advogados do Brasil que designe um advogado, caso os advogados da parte não compareçam em outubro", disse Frigo. Pela acusação, Maia teria sido morto em uma emboscada nas proximidades da Fazenda Água da Prata, em Querência do Norte. O advogado Itacir Biazus, que deve defender Carneiro, não foi encontrado ontem em seu escritório, em Paranavaí.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.