Júri de acusado de matar líder do MST é adiado

O julgamento de José Luís Carneiro, acusado de ter matado o sem-terra Sebastião da Maia, que estava marcado para esta quinta-feira, 10, em Loanda, no noroeste do Paraná, foi transferido para o dia 21 de setembro. A justificativa foi a renúncia do advogado do réu, Fernando Esmaniotto Marini. Maia, que era um dos líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) na região, foi morto no dia 21 de novembro de 2000, em Querência do Norte. Alguns dias antes, um grupo de sem-terra tinha sido retirado da Fazenda Água da Prata, mas decidiu retornar ao local. Neste retorno, Maia foi morto com um tiro. Carneiro foi reconhecido por algumas testemunhas que estavam junto de Maia. Ele permanece em liberdade até o julgamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.