Juntas, empresas doaram R$ 150 mi na eleição de 2014

As duas empreiteiras que tiveram seus presidentes presos ontem doaram juntas cerca de R$ 150 milhões a candidatos de duas dezenas de partidos nas eleições de 2014. Com R$ 94 milhões doados, a Andrade Gutierrez foi a segunda maior financiadora no total, atrás apenas do grupo JBS. A Construtura Norberto Odebrecht doou R$ 48 milhões e ficou em oitavo lugar no ranking.

O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2015 | 02h00

Os maiores beneficiados pelas doações da Andrade Gutierrez foram PT (R$ 39 milhões), PSDB (R$ 29 milhões) e PMDB (R$ 9 milhões).

A campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff recebeu dela, direta ou indiretamente, R$ 21 milhões - pouco mais do que recebeu a campanha do seu principal adversário, o senador Aécio Neves (PSDB): R$ 20,3 milhões.

Governadores. Outros eleitos em 2014 estão entre os beneficiários das doações da Andrade Gutierrez. Entre eles, os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB, R$ 1,5 milhão); de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT, R$ 4,3 milhões); de Alagoas, Renan Filho (PMDB, R$ 1,4 milhão); e do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB, R$ 500 mil).

Entre os senadores, a campanha de José Serra (PSDB-SP) recebeu R$ 890 mil, e a de Katia Abreu (PMDB-TO), R$ 300 mil.

A Odebrecht doou mais para PMDB (R$ 13,8 milhões), PT (R$ 10,5 milhões) e PSDB (R$ 7,7 milhões). A campanha de Dilma Rousseff recebeu cerca de R$ 4 milhões da construtora, praticamente o mesmo valor doado à campanha de Aécio Neves (R$ 3,9 milhões).

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.