Junta médica da Câmara vai avaliar saúde de José Janene

O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), disse nesta quarta-feira que a decisão de aposentar ou não o deputado José Janene (PR), líder do PP na Câmara, será tomada a partir da avaliação que uma junta médica da Casa fará nos próximos dias, depois de examinar o parlamentar no Paraná. Três médicos da Câmara deverão viajar, ainda nesta semana, para aquele Estado, onde Janene se encontra.Segundo Aldo, o parecer dos médicos servirá, também, para que ele decida sobre o pedido do Conselho de Ética da Casa para que Janene deponha no processo que pede a cassação de seu mandato parlamentar. "A decisão não é política, é médica. Portanto, eu vou ouvir o parecer e, a partir daí, tomar uma decisão, já que o deputado está de licença médica", afirmou Aldo, ao chegar à Câmara após o almoço. "A decisão da aposentadoria também é médica", completou Aldo.Janene entrou em licença médica no início de outubro. Nesta semana, os advogados do deputado voltaram a apresentar atestado médico para pedir a suspensão do processo contra o parlamentar. No atestado, três médicos afirmam que o parlamentar está incapacitado de se expor a situação de stress por causa de doença grave no coração.A situação de Janene está provocando um impasse na Câmara. Ao mesmo tempo em que os médicos atestam que o estado de saúde do deputado "justifica o seu enquadramento como portador de invalidez para o trabalho", Janene tem tomado atitudes de parlamentar. Ele apresentou emendas ao Orçamento da União e tem usado sua verba parlamentar normalmente, segundo mostram as prestações de contas dos últimos meses que são incluídas na página de transparência do site da Câmara.A negativa do deputado em depor no Conselho de Ética tem provocado irritação nos conselheiros. Hoje, em reunião administrativa, o colegiado decidiu dar prosseguimento ao processo contra o parlamentar, realizando o depoimento de testemunhas e, posteriormente, definir como Janene será ouvido. "Não é possível que o deputado (Janene) drible, dê lençol, chapéu e embaixadinha nesta Casa. O presidente (Aldo Rebelo) tem de tomar uma decisão", protestou o deputado Orlando Fantazzini (Psol-SP). "Este conselho está fazendo papel de ridículo. A Casa está ficando em posição ridícula por causa da inércia do presidente da Câmara, que ainda não enviou os médicos ao Paraná", criticou Fantazzini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.