Jungmann quer reforma agrária sem plantio

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann, disse hoje em São Paulo que quer desenvolver uma política de redistribuição de terras diferente, nada ortodoxa, que ele costuma chamar de "reforma agrária não-agrícola". O ministro já entrou em contato com as Prefeituras de São Paulo e Vitória (ES) para que elas estudem a viabilidade do projeto.De acordo com ele, o ministério, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Banco da Terra, financiaria os projetos de famílias que querem ir para o campo, mas não necessariamente para praticar a agricultura. "Não precisa plantar nada ou pode plantar ou criar só para subsistência, mas tem que ter outra atividade, como artesanato, pesque e pague, ter uma pousada. Pode ser qualquer coisa", disse o ministro.Para receber o financiamento para a compra da terra, com prazo de 20 anos e juros de 4% ao ano (3% ao ano para quem pagar em dia), é preciso formular um projeto e submetê-lo à avaliação do ministério, por meio das agências do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste ligadas ao Banco da Terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.