Jungmann divulga seus gastos contra bisbilhotagem

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), ex-ministro na gestão Fernando Henrique Cardoso, acusou ontem o atual governo de "bisbilhotar" seus gastos no período em que comandou a Reforma Agrária. Para ele, a prova de que o governo vasculhou suas contas e preparou dossiê foi a divulgação de uma despesa dele, de R$ 60, em dezembro de 2001, com uma massagem no hotel Rio Othon Palace.Os dados e a justificativa para o gasto estão na papelada com suas contas à frente da antiga pasta, entre janeiro de 1998 e abril de 2002. Em quase cinco anos, ele usou cerca de R$ 80 mil pelas contas tipo B. "Eu não me lembrava dessa massagem. Como alguém sabia disso? Alguém viu isso e passou adiante. Se isso não é dossiê, é o quê? Quem está bisbilhotando essas contas? Se não tem dossiê, como se faz essa relação?", indagou, ao divulgar documentos que recebeu do Planejamento com seus gastos. Informações sobre a massagem circulam na base desde fevereiro. Ofício do ministério explica que, "devido a mal-estar acometido em sua coluna, o senhor ministro solicitou os serviços de massagem no salão de ginástica do referido hotel". Cerca de 20% do total dos gastos foi para alimentação, como em restaurantes e supermercados de Brasília. Há despesa de R$ 118 no McDonald?s. A despesa com aluguel de carros foi de R$ 2.584,04.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.