Jungmann: denúncias não podem ficar 'debaixo do tapete'

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) é o autor do projeto de resolução que será votado amanhã e pretende mudar o regimento interno da Casa, criando uma corregedoria autônoma e independente da Mesa Diretora. Com a aprovação do projeto de resolução de Jungmann, que será apreciado pelo plenário depois da votação da MP das Filantrópicas, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), vai nomear o novo corregedor da Casa. Em entrevista ao Estado, Jungmann afirmou que as denúncias contra o deputado Edmar Moreira (DEM-MG), que abriu mão dos cargos de corregedor e de segundo vice-presidente da Casa, trouxeram prejuízo para a imagem da Câmara. Para ele, nada pode ser colocado ?debaixo do tapete?. O deputado disse ser contra proposta de transferir para o Judiciário a análise dos casos de perda de mandato. "A Câmara, ao contrário do Senado, não tem corregedoria com estrutura, autonomia e independência que zele pelo regime disciplinar dos deputados", afirmou o deputado. "Eu defendo a tese de que o corregedor seja indicado pelo presidente da Casa, que o fará aos olhos da opinião pública e comprometido com a ética. E é assim que eu acredito que o presidente Michel Temer vai fazer", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.