Jungmann adia novamente entrevista sobre denúncias

A entrevista coletiva do deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE) para responder às acusações de desvio de verbas durante sua gestão como ministro do Desenvolvimento Agrário do governo Fernando Henrique Cardoso foi adiada para as 15 horas desta segunda-feira.De acordo com a assessoria do deputado, o adiamento foi provocado pelo atraso no envio de informações sobre os autos do processo. A denúncia de supostas irregularidades foi apresentada pela Procuradoria da República no Distrito Federal na última quinta-feira.Na ocasião, Jungmann disse achar "estranho" que o surgimento da denúncia tenha coincidido com a articulação de um movimento em que ele atua como um dos líderes e que pretende lançar um terceiro nome para disputar a presidência da Câmara dos Deputados.A assessoria do parlamentar afirmou, em nota divulgada na noite de domingo, que as investigações sobre o caso vêm se arrastando há mais de quatro anos e que Jungmann estava sendo arrolado como testemunha. "O parlamentar passou a réu sem sequer ser ouvido", disse o texto.Ainda de acordo com a nota, o deputado garantiu que está confirmado para terça-feira, às 15 horas, o lançamento da candidatura alternativa à Câmara. Até o momento, a disputa está dividida entre os deputados Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Arlindo Chinaglia (PT-SP). Além de Jungmann, outras oito pessoas foram denunciadas por improbidade. O grupo, segundo o Ministério Público Federal, desviou recursos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), entre 1998 e 2002. O esquema teria dado um prejuízo de R$ 33 milhões aos cofres públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.