'Julgamento tinha que acontecer', diz defesa de Valério

O advogado Marcelo Leonardo, que defende o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, elogiou nesta segunda o formato definido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para as sustentações orais no julgamento do mensalão, previsto para começar no dia 1º de agosto. Questionado pela Agência Estado se haveria algum problema para fazer a defesa do seu cliente pelo cronograma fixado pelo STF, Leonardo disse que não.

RICARDO BRITO, Agência Estado

11 de junho de 2012 | 20h46

"Para mim, não tem problema nenhum. Eu entendo que o julgamento tinha que acontecer. Se o processo estiver pronto, deve acontecer. A fixação das datas para as sustentações orais foi uma boa coisa, porque você sabe o dia que você vai falar", disse o advogado, que também integra a comissão de juristas do Senado que discute mudanças ao Código Penal.

Em setembro passado, a defesa de Marcos Valério pediu a absolvição do empresário de todos os crimes a que responde no processo: corrupção ativa, peculato, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Ele é acusado pela Procuradoria-Geral da República de ser o operador do esquema de compra de apoio político no Congresso para votar a favor de projetos de interesse do governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Marcelo Leonardo lembrou que, pela lei, as sustentações orais das defesas dos 38 réus têm de ser feitas em conjunto. "A lei manda que fala primeiro a acusação e depois as defesas", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoMarcos Valériodefesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.