Beto Barata/AE - 08.06.2011
Beto Barata/AE - 08.06.2011

Julgamento do poder do CNJ 'promete', diz vice-presidente do Supremo

Em entrevista à 'Estadão ESPN', ministro Carlos Ayres Britto afirmou que não há 'placar' previsto e ministros vão para sessão desta quarta-feira com 'espírito desarmado'

do estadão.com.br

01 de fevereiro de 2012 | 11h02

O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Carlos Ayres Brito, evitou falar em 'placar' para o julgamento da competência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para investigar juízes, mas ressaltou que a sessão desta quarta-feira, 1º de fevereiro, "promete". "Vai demandar muito debate", disse em entrevista à 'Estadão ESPN', nesta manhã.

Em declarações passadas, o ministro mostrou-se favorável à atuação do CNJ e destacou os propósitos com que o órgão age na investigação de desvios de conduta de magistrados. Nesta quarta, o Estado mostrou que a previsão é de que o julgamento termine a favor do conselho, com 6 ou 7 votos, dos 11 ministros que compõem a Corte.

"Não há um prognóstico seguro. Não há um placar. Vamos ver o que os colegas têm a dizer. Os ministros vão para a sessão de cabeça aberta e de espírito desarmado", ponderou Ayres Britto. A sessão está prevista para começar a partir das 14h e é transmitida ao vivo.

O julgamento desta quarta pode decidir se o CNJ pode abrir processos contra magistrados mesmo que ainda não tenham respondido pelas irregularidades na corregedoria do tribunal de origem desses juízes. A atuação é contestada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), que entende que a investigação deve ser precedida da averiguação local.

Tudo o que sabemos sobre:
ayres brittoSTFCNJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.