Julgamento de 'fichas-sujas' no STF já dura quase cinco horas

Relatório de Celso de Mello tem 90 páginas; expectativa é de que maioria dos ministros libere candidaturas

Mariângela Gallucci, de O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2008 | 17h26

Já dura quase cinco horas o julgamento em que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá se políticos com ficha suja podem se candidatar nas eleições. O julgamento começou às 14h30. Apenas há pouco o relator, Celso de Mello, começou a ler o seu voto. Ele adiantou que o voto é extremamente longo, com "91 laudas". A expectativa é de que a maioria dos ministros do STF conclua que somente podem ser barrados na disputa eleitoral os políticos condenados definitivamente pela Justiça, apesar do parecer do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que é favorável à exclusão desses políticos.   Veja também: Território Eldorado: CNBB lança carta e pressiona STF para vetar 'fichas-sujas' Movimento contra corrupção pede para STF barrar 'fichas-sujas' Saiba quem são os candidatos com a ficha suja  Kassab entra para lista dos 'fichas-sujas' da AMB AMB divulga os 'fichas-sujas'; Maluf é o que tem mais processos Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições      Em sua manifestação no plenário do STF, Souza defendeu que os políticos com ficha suja não devem participar das eleições. "O constituinte estabeleceu que a capacidade de ser votado pode ser restringida quando valores como probidade e moralidade não sejam atendidos pelo candidato", afirmou Souza. Além de Souza, falaram antes de Celso de Mello iniciar a leitura de seu voto advogados de partes interessadas, como a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), autora da ação julgada hoje pelo STF.   Texto atualizado às 19h16

Tudo o que sabemos sobre:
STFfichas-sujaseleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.