Julgamento de envolvidos em escândalo em Campinas começa nesta sexta

Audiência ouve primeiras testemunhas sobre denúncias de corrupção na prefeitura; caso motivou prisão de 11 pesssoas e cassação de prefeito

Ricardo Brandt, de O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2012 | 14h33

CAMPINAS - Começou nesta sexta-feira, 25, pela manhã em Campinas (SP) a primeira audiência do julgamento do processo do Caso Sanasa, em que são réus a ex-primeira-dama Rosely Nassim dos Santos, o vice-prefeito cassado Demétrio Vilagra (PT), os ex-secretários da prefeitura Carlos Henrique Pinto e Francisco de Lagos, o ex-diretor de Planejamento Ricardo Cândia e o ex-presidente da Sanasa Luiz Castrillon de Aquino.

Eles são acusados por formação de quadrilha, desvios de recursos e fraudes em licitações. O julgamento começa um ano após ser deflagrada a operação que levou 11 pessoas para a cadeia, entre empresários, lobistas e membros do Executivo, e culminou com a cassação do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) e de seu vice.

A audiência, no Fórum de Campinas, começou com o depoimento de um agente do Ministério Público que participou das investigações. A defesa de cinco dos seis réus tentou impedir seu depoimento, mas o juiz da 3ª Vara Criminal, Nélson Augusto Bernardes, liberou a oitiva.

Testemunhas. Doze testemunhas foram convocadas para depor pela acusação no processo. Uma delas, o empresário Ilário Bocallato, chegou escoltado por policiais civis após ter recebido ameaças de morte hoje pela manhã. Quatro ligações ameaçaram o empresário que contou nas investigações ter recebido cobrança de propina por parte dos acusados.

Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que investigou e denunciou o esquema, um grupo de servidores, empresários e lobistas que teria como cabeça a ex-primeira-dama teria desviado recursos da empresa de saneamento e na prefeitura por meio de fraudes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.