Juízes do TRE votam por inelegibilidade do casal Garotinho

Quatro dos cinco magistrados do Tribunal Regional Eleitoral do Rio votaram na noite desta segunda-feira, 9, pela inelegibilidade do casal de ex-governadores do Rio Anthony e Rosinha Garotinho num processo que apura pavimentação de ruas em Sapucaia, na Região Centro-Sul, em troca de apoio político. O resultado do julgamento será divulgado na quinta-feira, dia 12.Pela decisão dos quatro magistrados, o mandato do deputado federal Geraldo Pudim, o segundo mais votado no Estado, deve ser cassado e o presidente do Departamento de Estradas e Rodagem, Henrique Alberto dos Santos Ribeiro, também fica inelegível. O resultado não foi anunciado porque o desembargador Rudi Loewenkron não determinou seu voto, por não estar convencido do que realmente aconteceu.O relator do processo, juiz Marcio Mendes Costa, considerou que houve uma reunião política na fazenda do médico José Carlos Araújo, em Sapucaia, no dia 12 de setembro de 2006, dentro do período eleitoral. E que nessa reunião houve barganha de votos. De acordo com degravações de uma sessão da Câmara de Vereadores de Sapucaia, Garotinho teria prometido "1.500 metros de asfalto, uma rua de seis metros de largura, com meio fio e saneamento básico" em troca de apoio para Geraldo Pudim.Em nota, Garotinho disse que as obras realizadas no município não tiveram interesse eleitoral. "Esse é mais um ato de injustiça. Temos (Garotinho e Rosinha) fé que vamos recorrer e vencer para que possa prevalecer a Justiça", escreveu o ex-governador. Pudim e Ribeiro não foram localizados pelo Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.