Juíza suspende audiência de Paulo Preto contra Eduardo Jorge

Vice-presidente executivo do PSDB nega ter dito a revista que ex-presidente da Dersa tenha sumido com R$ 4 milhões do PSDB

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo

16 de fevereiro de 2011 | 19h39

Frente a frente, o engenheiro Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, e Eduardo Jorge, eminência tucana. A cena ocorreu nesta quarta-feira, 16, na 1.ª Vara Criminal do Fórum da Lapa, onde tramita ação penal movida por Paulo Preto contra o vice-presidente executivo do PSDB por crime contra a honra.

 

Eduardo Jorge teria declarado em agosto, à revista "Isto É", que Paulo Preto, ex-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo (Dersa), desaparecera com R$ 4 milhões da campanha do partido à Presidência da República, em 2010. Durante 15 minutos, entre 15h21 e 15h36, os dois oponentes permaneceram na mesma sala, diante da juíza Cynthia Menezes de Paula Straforini, que conduz o processo. Eduardo Jorge afirmou que jamais fez aquela declaração. Ele disse que enviou correspondência à revista pedindo retificação.

 

Diante do impasse, a juíza suspendeu a audiência e deu prazo de dez dias para que as partes estudem eventual composição. "Esta não é uma ação entre amigos, é uma ação criminal", declarou Paulo Preto, à saída do Forum. O advogado criminalista José Luís Oliveira Lima, que acompanha o engenheiro, disse que "ainda não está satisfeito". Ele observou que não decidiu se aceitará uma retratação.

 

"Estou indignado", disse Paulo Preto. "Quero que seja processado quem criou a história. Fui acusado de roubo, mas até agora não existe esse dinheiro, eu nunca recebi nada e nunca participei de arrecadação em campanha alguma. O PSDB inteiro não pode desconhecer a minha vida pregressa. Trabalhei 20 anos em estatais, no governo Alckmin e no governo Serra."

 

Para Paulo Preto, as declarações publicadas pela revista "são verdadeiras e por isso o processo deve prosseguir". Ele disse que, para uma conciliação, vai exigir "quatro páginas em que todo mundo desminta e assuma publicamente que mentiram contra a minha honra".

Tudo o que sabemos sobre:
Paulo PretoEduardo JorgeDersaPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.