Juíza proíbe pela segunda vez pesquisa Ibope no Acre

Justiça acata decisão do Ministério Público Eleitoral, que alega haver falhas nos questionários apresentados aos eleitores

Itaan Arruda, especial para o Estado

25 Setembro 2012 | 13h44

RIO BRANCO - A juíza da 1ª Zona Eleitoral, Maha Kouzi Manasfi e Manasfi, acatou pedido do Ministério Público Eleitoral e impugnou pesquisa Ibope/Rede Amazônica em Rio Branco, capital do Acre. O promotor eleitoral Rodrigo Curti alega que os questionários aplicados oferecem ao cidadão opções que polarizam entre o candidato petista Marcus Alexandre e o candidato tucano Tião Bocalom.

 

Nas eleições deste ano, é a segunda pesquisa Ibope/Rede Amazônica que a juíza Maha Kouzi Manasfi e Manasfi proíbe divulgação. Ela já havia proibido a divulgação da primeira pesquisa (feita em agosto) alegando que o instituto induzia o leitor a fazer uma avaliação das administrações petistas nas três esferas de governo, federal, estadual e municipal.

Na segunda impugnação, a juíza acata os argumentos da promotoria que defende a tese de que a abordagem da pesquisa só destaca os nomes dos dois primeiros colocados.

 

A Rede Amazônica divulgou o resultado da pesquisa na sexta-feira. A impugnação da divulgação só aconteceu no sábado à noite.

 

 

Mais conteúdo sobre:
pesquisa IbopeRio BrancoAcre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.