Juíza indiciada vira desembargadora

Indiciada por corrupção e formação de quadrilha, a juíza Ângela Maria Catão Alves, da 11.ª Vara Federal de Belo Horizonte, foi promovida anteontem a desembargadora do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região. O resultado da sessão foi unânime: 19 votos a 0.Ângela foi investigada pela Polícia Federal durante a Operação Pasárgada, deflagrada em abril de 2008. Na ocasião, foram presos 17 prefeitos além de um juiz federal. O objetivo era pôr fim a um suposto esquema irregular de liberação de verbas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Segundo os federais, a magistrada tinha estreito relacionamento com membros da suposta organização criminosa. Ela teria negociado vantagens pessoais com um gerente da Caixa Econômica Federal, considerado o braço financeiro do grupo. Procurada, a juíza não quis se manifestar sobre a promoção. O presidente do TRF1, Jirair Aram Meguerian, também disse que não vai comentar o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.