Juíza emite cartas para bloquear bens de Maluf na Suíça

A juíza Silvia Maria Meirelles Novaes de Andrade, da 4ª Vara da Fazenda Pública, expediu hoje as cartas rogatórias que deverão ser enviadas para as autoridades da Suíça e do paraíso fiscal das Ilhas Jersey, com o pedido de bloqueio do dinheiro do ex-prefeito Paulo Maluf (PPB) e de seis familiares, que supostamente estaria depositado em instituições financeiras nos dois países. As cartas rogatórias deverão ser traduzidas e enviadas para o Ministério da Justiça, junto com partes do processo de investigação sobre Maluf em curso no Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo. O Ministério da Justiça deverá enviar os documentos para o Itamaraty, canal responsável pelo encaminhamento do pedido de bloqueio junto às autoridades suíças e de Jersey.O advogado de Maluf, Ricardo Tosto, afirmou que seu cliente deverá recorrer do pedido de bloqueio dos bens. O promotor Silvio Antônio Marques, da Cidadania, um dos responsáveis pelo pedido do bloqueio de bens, avaliou que um eventual recurso de Maluf será a comprovação da culpa. "Porque ele tentaria impedir o bloqueio do dinheiro se não existe dinheiro lá?", perguntou o promotor. Maluf insiste que "não tem e nunca teve" dinheiro em qualquer paraíso fiscal do mundo.O advogado, que deverá se reunir ainda na noite de hoje com Maluf, apresenta outros argumentos para uma eventual contestação judicial do pedido de bloqueio. ?Trata-se de uma execração pública", afirmou Tosto. "E, além do mais, uma ação internacional poder á prejudicar não só os familiares de Paulo Maluf como suas empresas, que mantêm negócios em vários países do mundo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.