Juiz que mandou prender Arruda diz ter 'consciência tranquila'

Ministro do STJ diz ter se surpreendido com caso Arruda e afima que decisão de prender seguiu 'cartilha legal'

Rosana de Cassia, da Agência Estado,

12 de fevereiro de 2010 | 08h35

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Fernando Gonçalves, que determinou a prisão do governador do Distrito Federal (DF), José Roberto Arruda, declarou-se surpreso com as informações do Ministério Público (MP) para a decretação de prisão do acusado. Em entrevista na quinta-feira, 11, à noite ao Jornal da Globo, retransmitida nesta sexta-feira, 12, no programa Bom Dia Brasil, da TV Globo, Fernando Gonçalves disse ter sido surpreendido com a tentativa de coação no curso do processo, intimidação de testemunha e suborno. O ministro afirmou que a decisão de mandar prender o governador seguiu a "cartilha legal". "Tenho a consciência tranquila", disse.  

 

Veja também:

link STF deve analisar hoje habeas-corpus de Arruda

link

 Ministro relator submeteu decisão à Corte Especial

link Governador se apresenta à Polícia Federal

blog  Blog do Bosco: Arruda se licencia para evitar intervenção

especial

 Entenda a operação Caixa de Pandora

 

Fernando Gonçalves é o relator do processo do Mensalão do DEM, desvendado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal (PF). Ontem, em seu despacho, determinando a prisão de Arruda e de mais quatro acusados, o ministro concluiu que "a desfaçatez e a desinibição dos agentes de infração penal no uso indevido da coisa pública reclamam decisão proporcional do Poder Judiciário. Cabe ao Judiciário assegurar efetivamente a ordem pública, paralisando a atuação ilícita deste grupo criminoso e prevenindo a ocorrência de outros crimes que venham a praticar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.