Juiz propõe prisão de ex-tesoureiro envolvido no mensalão

Emerson Palmieri é um dos 40 réus da ação penal do esquema; até 2005, ele operou como tesoureiro do PTB

FELIPE RECONDO, Agencia Estado

18 Janeiro 2008 | 18h56

O juiz da 3ª Vara Criminal de Curitiba Leoberto Schmitt propôs ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão preventiva de Emerson Palmieri, um dos 40 réus da ação penal do mensalão, que, até 2005, operou como tesoureiro informal do PTB, partido presidido pelo ex-deputado Roberto Jefferson (RJ). Schmitt foi designado pelo STF para interrogar Palmieri. O juiz da 3ª Vara Criminal de Curitiba marcou para 11 de janeiro a audiência. Entretanto, conforme relatou ao Supremo, o réu não foi encontrado para receber a notificação e não compareceu ao interrogatório. Com isso, uma nova data foi definida: o dia 25.A presidente do STF, ministra Ellen Gracie, determinou que a sugestão de prisão de Palmieri seja analisada pelo ministro que relata o processo, Joaquim Barbosa, caso o ex-tesoureiro informal do PTB não apareça, novamente, ao interrogatório. De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público, Palmieri e Jefferson receberam R$ 4 milhões do PT, dinheiro não declarado à Receita Federal e à Justiça Eleitoral, e o repartiram com deputados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.