Juiz nega soltura de acusado de mandar matar vereador

O juiz criminal de Itirapina, Daniel Felipe Scherer Borborema, negou um novo pedido de revogação da prisão preventiva de Luiz Carlos Perin, acusado de ser o mandante do assassinato do vereador Evaldo José Nalin (PSDB), de Analândia, interior de São Paulo. A decisão foi publicada hoje na seção do Judiciário no Diário Oficial do Estado. Perin, que é irmão do ex-prefeito José Roberto Perin, está preso desde outubro de 2010, acusado de tentar coagir testemunhas.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

04 de março de 2011 | 18h00

O juiz entendeu ser conveniente para a instrução criminal que o réu permaneça preso, pois ficou claro que ele teria intimidado uma testemunha. Lembrou, ainda, que durante a prisão foi apreendido "farto arsenal na residência do acusado, inclusive explosivo de fabricação caseira". De acordo com o magistrado, mesmo com o réu sob custódia, familiares em liberdade procuraram interferir nas atividades investigatórias.

A libertação de Luiz Perin já havia sido negada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em decisão confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O homicídio ocorreu na noite de 9 de outubro de 2010, no centro de Analândia, quando a casa do vereador foi invadida por dois homens armados. Um deles, identificado como André Picanto, morreu posteriormente, vítima de atropelamento. De acordo com o Ministério Público Estadual, o crime foi encomendado porque a vítima promovia intensa fiscalização das atividades do poder executivo local. O irmão do acusado foi prefeito por três mandatos e, com outros familiares, controla a administração em Analândia há quase 20 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.