Juiz manda sem-terra saírem da Fazenda Invernada

O juiz José Prates Piccoli, daSegunda Vara Cível de Bagé (RS), concedeu a reintegração deposse da Fazenda Invernada à Agropecuária Ana Paula. A decisãosó não foi cumprida nesta quarta-feira porque o mau tempoimpediu que um oficial de Justiça fosse à propriedade notificar os invasores. Cerca de 800 sem-terra tomaram a propriedade rural, localizadaem Hulha Negra, a 500 quilômetros de Porto Alegre, há duassemanas, alegando que a área, mesmo sendo produtiva, é muitogrande - tem 15 mil hectares - para um proprietário só e évoltada para a exportação e não para a produção de alimentospara os brasileiros.O diretor jurídico da Federação da Agricultura no Rio Grande doSul (Farsul), Nestor Hein, disse que a ordem judicial deve sercumprida logo que a notificação chegar às mãos dos sem-terra. Ojuiz previu uma multa de 100 salários mínimos por dia para ocaso de resistência à sua ordem.Apesar disso, os sem-terra prometem ficar. Um dos líderes domovimento, Ailton Croda, disse que o grupo está mobilizado pararesistir à ordem de desocupação ao mesmo tempo em que oMovimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vai recorrerda decisão de Piccoli por meio de um agravo de instrumento.A Agropecuária Ana Paula destacou-se em meio à agroindústriabrasileira por desenvolver uma tecnologia de abate de novilhosprecoces, com um ano de idade, elevando a média de desfruto dorebanho de 15% a 18% para 38% a 40%. O feito tem atraídopesquisadores de diversos países para a fazenda.O grupo AnaPaula atua também nos ramos de hotelaria, exportação de sapatose serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.