Juiz manda para MPF pedido da Petrobrás para ter acesso a depoimento de Costa

Antes de decidir se libera conteúdo da delação, Sérgio Moro quer que CPI Mista específique quais dados os parlamentares precisam

Ricardo Galhardo, Fausto Macedo e Valmar Hupsel Filho, O Estado de S. Paulo

10 de setembro de 2014 | 18h25

O juiz Sérgio Fernando Moro, da 13a Vara Criminal Federal de Curitiba, remeteu nesta quarta-feira, 10, ao Ministério Público Federal o pedido da Petrobrás para ter acesso aos depoimentos do ex-diretor da estatal, Paulo Roberto Costa, feitos em delação premiada. A procuradoria deverá dar parecer em três dias.

No mesmo despacho, o magistrado encaminhou ofício ao presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Petrobrás, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), para que a comissão seja mais clara com relação aos documentos solicitados. O colegiado solicitou acesso a todos os documentos da operação.

“A investigação em questão é bastante abrangente. Assim, para atender ao requerido, faz-se necessário melhores esclarecimentos da prova pretendida”, justificou o magistrado.

Também nesta quarta-feira, 10, a comissão parlamentar encaminhou ofício solicitando cópia dos depoimentos prestados por Paulo Roberto Costa à Procuradoria da República. Sobre este pedido, o juiz Sergio Moro ainda não decidiu.

Paulo Roberto Costa vai depor na comissão na próxima quarta-feira, 17. A convocação do ex-diretor da Petrobrás foi decidida nesta quarta em reunião de integrantes da comissão, com a presença de líderes partidários, no gabinete do presidente, senador Vital do Rêgo.

Figura-chave do esquema de lavagem de dinheiro desbaratado pela Operação Lava Jato, que pode ter ultrapassado a cifra de R$ 10 bilhões, Paulo Roberto Costa tem prestado depoimentos diários à Procuradoria da República. Na sexta-feira e no final de semana, o Estado e a revista Veja divulgaram informações sobre o depoimento de Costa. O ex-diretor da Petrobrás citou nomes de parlamentares, ministros e governadores que teriam recebido propina para conseguir contratos na Petrobrás. 

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.