Juiz manda MST desocupar fazenda no Pontal

O juiz da 1ª Vara Cível de Presidente Epitácio, Rogério de Toledo Pierri, determinou hoje a saída imediata, sob pena de prisão, dos 300 militantes que invadiram a fazenda Tupi Conan, na zona rural do município, no Pontal do Paranapanema, no último dia 9. O cumprimento da liminar pode ser prejudicado pela greve de servidores que paralisa o Fórum da cidade. A medida só terá validade depois que os líderes dos invasores forem intimados, mas a expedição do mandado depende do retorno dos grevistas ao trabalho. O proprietário da fazenda, João Coelho Júnior, disse que a cada dia aumenta o prejuízo causado pelas invasões. Essa foi a décima vez que os sem-terra entraram na Tupi Conan nos últimos anos. Este ano, foi a quinta invasão. Segundo ele, os militantes do MST desviaram os canos que abastecem o gado e derrubaram eucaliptos para erguer os barracos. O fazendeiro teve de remover o rebanho para outra parte da fazenda, cuja área total é de 2 mil hectares. O líder dos sem-terra, Edi Ronan Ribeiro, vai aguardar a chegada da ordem judicial para decidir, em assembléia, o que será feito. A intenção do grupo, segundo ele, é permanecer na fazenda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.