Juiz manda MST desocupar fazenda no interior de SP

No despacho consta que famílias 'entraram na área arrebentando as cercas, invadindo as áreas de pasto e construindo suas barracas'

José Maria Tomazela, de O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2010 | 18h41

SOROCABA - O juiz Sérgio Augusto de Freitas Jorge, da 2ª Vara Cível de Pederneiras, no interior de São Paulo, mandou despejar as 30 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que invadiram uma gleba da Fazenda Faxinal na quarta-feira. A liminar foi dada nesta sexta-feira, 12, em ação de reintegração de posse movida pela advogada Lívia Fernandes Ferreira, que representa o dono da propriedade. No despacho, o juiz narra que os sem-terra "entraram na área arrebentando as cercas, invadindo as áreas de pasto e construindo suas barracas, conforme boletim de ocorrência e fotografias".

Ele autorizou o "uso de reforço policial para assegurar o imediato cumprimento da ordem". Também determinou à prefeitura providenciar assistentes sociais e ambulâncias para acompanhar o despejo. Os sem-terra são provenientes do Acampamento Aimorés, instalado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) num antigo horto florestal, entre Bauru e Pederneiras. O mesmo grupo já havia invadido a fazenda este ano durante o chamado "Abril Vermelho" - a jornada de lutas do MST. A propriedade é considerada produtiva pelo Incra.

Tudo o que sabemos sobre:
MSTsem-terraJustiçadesocupaçãoSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.