Juiz espera que Beira-Mar cumpra pena em BH

O juiz da Vara de Tóxicos e Entorpecentes de Belo Horizonte, Eli Lucas de Mendonça, que condenou o traficante Fernandinho Beira-Mar a 12 anos de prisão, há quase cinco anos, disse ontem que espera que o criminoso seja deportado da Colômbia para o Brasil, o mais rápido possível, e que cumpra pena na capital mineira. Segundo Mendonça, recentemente, ele enviou um ofício ao Ministério da Justiça solicitando que, tão logo fosse preso e deportado, o criminoso fosse transferido para Belo Horizonte, onde recebeu sua primeira sentença judicial."Esperamos que isso acconteça nas próximas horas", disse. No dia 22 de junho de 1996, Beira-Mar foi localizado e detido por agentes da Polícia Federal em um de seus imóveis, na Zona Sul de Belo Horizonte, no dia 22 de junho de 1996. Diversos papelotes de cocaína foram encontrados em seu poder, segundo a PF, o que configurou o crime. Julgado por tráfico de drogas, ele foi sentenciado por Mendonça a 12 anos, mas só cumpriu nove meses da pena no Departamento Estadual de Operações Especiais (Deopesp), no bairro Funcionários, também na Zona Sul.Em março de 1997, o traficante fugiu da unidade de Polícia Civil mineira pela porta da frente, em condições consideradas suspeitas pela Corregedoria da corporação e pela Comissão Parlamentar de Inquérito do Narcotráfico, formada na Assembléia Legislativa de Minas. Alguns detetives, acusados de facilitação da fuga, foram afastados da Polícia Civil, mas não houve comprovação oficial de suas participações.De acordo com Eli Mendonça, a prisão do traficante, na Colômbia, representou "uma vitória do povo brasileiro". O juiz, que após julgar o processo de Beira-Mar afirma ter recebido inúmeras ameaças de morte, por telefone ou cartas, garantiu que a localização do criminoso mais procurado do País e de sua detenção, outros traficantes perceberão que não podem se sentir impunes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.