Juiz diz que Brasília não é lugar de Beira-Mar

O juiz da Vara de Execuções Criminais do Distrito Federal, Eduardo Henrique Rosas, disse que o lugar do traficante Fernandinho Beira-Mar não é Brasília. O juiz comentou a informação segundo a qual o governo do Rio de Janeiro estaria negociando a transferência do traficante para outro Estado.Rosas afirmou que Beira-Mar ficou quase um ano preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília, de forma irregular, e que ele foi transferido para o Rio em abril a pedido da própria PF.Segundo o juiz, a legislação prevê que nenhum Estado tem obrigação de receber um preso condenado em outra unidade federativa. Por esse motivo, o traficante teria de ficar no Rio ou em Minas Gerais, informou o Tribunal de Justiça do Distrito Federal.O juiz reconhece que a situação é delicada, mas disse que Beira-Mar é um problema a ser resolvido pelo governo do Rio. Rosas concluiu que Brasília não pode ser transformada num repositório de criminosos indesejados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.