Juiz determina reintegração de posse em fazenda do RS

O juiz substituto da 3ª Vara Cível de Carazinho, Orlando Faccini Neto determinou, neste sábado, a reintegração de posse da Fazenda Coqueiros, em Coqueiros do Sul, Rio Grande do Sul. Em seu despacho, o magistrado deu prazo de 24 horas para que os 2 mil invasores, ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), deixem a propriedade de 7 mil hectares, ocupada na última terça-feira. Esta foi a quarta invasão protagonizada pelo MST na fazenda, nos últimos dois anos.Seus proprietários, os irmãos Félix e Vera Guerra, tinham sentença do Tribunal de Justiça que impedia o grupo de entrar novamente na área, mas a ordem foi descumprida. Isto provocou a indignação do advogado dos donos, Nestor Hein. "Não podemos compactuar com esta atitude. Agora que o juiz determinou a reintegração de posse, esperamos que a ordem seja cumprida, pois existe até a ameaça de os invasores ocuparem a sede principal da Coqueiros", afirmou.O coronel da Brigada Militar (polícia militar gaúcha), Waldir Cerutti, responsável pelo patrulhamento da área, disse que não conseguirá reunir efetivo suficiente para retirar os invasores da fazenda caso ela não seja desocupada pacificamente, como determinou o juiz Orlando Faccini Neto. "Precisamos reunir no mínimo 600 homens para realizar o trabalho", avisou. "Para isso, precisamos de uns dois ou três dias", acrescentou.A desocupação, como prevê Cerutti, será uma tarefa árdua, pois os agricultores do MST construíram no local barracos de madeira e, conforme um dos seus líderes, Edenir Vassoler, o grupo só deixará o local quando o governo anunciar o assentamento das famílias: "Já disse antes, e repito, que só sairemos daqui quando tivermos uma área definitiva para morar."

Agencia Estado,

04 de março de 2006 | 14h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.