Juiz decreta prisão de acusados de matar líder do MST

O juiz da Comarca de Atalaia, Galdino José Amorim Vasconcelos, decretou nesta terça-feira à noite a prisão preventiva do fazendeiro Pedro Batista e do vaqueiro Heleno Pedro da Silva. Eles são acusados, respectivamente, de autoria intelectual e material da morte de Jaelson Melquíades dos Santos, dirigente Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST).O dirigente do MST foi assassinado em 29 de novembro de 2005, com cinco tiros na cabeça, quando chegava de motocicleta à fazenda Timbozinho, na zona rural de Atalaia, a 68 quilômetros de Maceió. Segundo o juiz Galdino Vasconcelos, há indícios da autoria dos dois acusados no assassinato do dirigente do MST. "Decretei as prisões e devolvi o inquérito para a Polícia Civil, para que fossem efetuadas as prisões", informou o magistrado. O delegado Gilson Rego, titular da Delegacia de Atalaia e presidente do inquérito policial sobre o crime, disse que a advogada do fazendeiro ficou de apresentá-lo até o final desta semana. Já o vaqueiro não deu notícia, continua foragido.

Agencia Estado,

03 de maio de 2006 | 17h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.