Juiz ameaça prender e sem-terra suspendem invasão

Um despacho do juiz Fábio Fernandes Ferreira, de Presidente Bernardes, no Pontal do Paranapanema, evitou hoje a invasão da fazenda São Luiz, no mesmo município, por integrantes do Movimento dos Agricultores Sem-Terra (Mast). A ação tinha sido anunciada pelo coordenador do movimento, Lino de Macedo. Ele não havia citado qual seria fazenda a invadida, mas mencionou o município. A São Luiz já foi alvo de três invasões só este ano. Quando os sem-terra começavam a se mobilizar, uma oficial de Justiça chegou no acampamento Santa Flora, do Mast, com a ordem judicial de não invasão, sob pena de ser decretada a prisão de todos os invasores. A mesma ordem foi dada para a fazenda Nossa Senhora do Carmo, de Emilianópolis, também ameaçada pelo Mast. Advogados dos proprietários alegaram, "ante a propalada intenção de invadir", a necessidade de prevenir eventual conflito e resguardar os direitos dos fazendeiros. Os militantes são os mesmos que foram rechaçados a tiros, quarta-feira, durante tentativa de invasão da fazenda Ponte Funda, da Agropecuária Jubran, em Presidente Epitácio. Sete sem-terra ficaram feridos. Segundo o líder Hélio Ferreira Lopes, que recebeu a intimação do juiz, a ordem será cumprida. "Mas existem outras fazendas devolutas nessa região que podemos ocupar." Ele disse que o movimento fará uma avaliação das ações futuras numa assembléia marcada para terça-feira.O coordenador do Mast disse que vai processar por calúnia o proprietário da fazenda Ponte Nova, Samir Jubran, que acusou os sem-terra de terem roubado os celulares dos funcionários, além de um trator e um caminhão. "Ele terá de provar a acusação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.