Judiciário e Executivo gaúcho vão se enfrentar no STF

O Judiciário do Rio Grande do Sul vai levar ao Supremo Tribunal Federal uma disputa que mantém com o governo de Yeda Crusius (PSDB) por uma fatia de R$ 17 milhões do Orçamento do ano que vem. A decisão de encaminhar um mandado de segurança à Corte foi tomada por unanimidade pelo Pleno do Tribunal de Justiça ontem. Os desembargadores exigem que o governo repasse ao Judiciário o valor de R$ 1,360 bilhão que o presidente do Tribunal, Marco Antônio Barbosa Leal, diz ter acertado com a governadora, em vez da previsão de R$ 1,343 bilhão estabelecida no orçamento enviado à Assembléia Legislativa na sexta-feira. Yeda alega que não houve o acordo e que teve de fechar uma proposta condizente com a capacidade financeira do Estado. O chefe da Casa Civil, Luiz Fernando Zachia, disse hoje que as áreas de saúde e educação, que já têm poucos recursos, perderão mais ainda se o STF decidir a favor do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.