Judiciário amplia greve em Sorocaba

Os 790 servidores do Judiciário em Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, ampliaram hoje a greve que paralisa a categoria desde o dia 27, fechando os cartórios distribuidor e criminais que atendiam em regime de plantão. Os chefes dessas repartições fecharam os arquivos, prejudicando o atendimento do plantão judiciário.Desde a semana passada, os juízes vêm concedendo habeas-corpus para pôr de volta nas ruas autores de crimes cujo prazo de prisão provisória se esgotou. Cerca de 230 presos acusados dos mais variados crimes, até mesmo assaltos e tentativas de homicídio, estavam nessa condição.Com o fechamento do cartório distribuidor, estão deixando de ser recebidas cerca de 300 ações por dia. O presidente da subsecção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Joel Araújo, protestou contra o que chamou de radicalização do movimento. "Com a paralisação total dos serviços, o Judiciário deixa de cumprir sua função constitucional." Os servidores querem aumento de 54% a título de reposição de perdas salariais. A greve durará pelo menos até quarta-feira, quando a categoria realiza uma assembléia na capital paulista. Também estão parados total ou parcialmente os Fóruns de Votorantim, Piedade e Ibiúna, cidades da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.