Jucá vota a favor de pedido de cassação de Renan

O placar de 17 a 3 contra o presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, frustrou o acusado, que contava com quatro votos do PMDB a seu favor. A única exceção que figurava na contabilidade de Renan era o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). Para surpresa dele próprio e de seus aliados, no entanto, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR), votou com a oposição, depois de se ausentar do plenário do Conselho de Ética em duas outras votações dos processos contra o companheiros de partido.O grupo mais próximo de Renan irritou-se com o comportamento do líder. Na avaliação de um dos senadores deste grupo, o voto de Jucá pode contribuir para enfraquecer Renan, já que passaria a idéia de que o governo abandonou o presidente licenciado. Não é o que diz Jucá. Segundo ele, seu voto na CCJ referiu-se apenas à questão legal e jurídica do processo em curso contra o companheiro. No mérito, ele mantém a posição solidária a Renan e assegura seu voto contra a cassação do amigo no plenário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.