Jucá vai insistir em derrubar convocação de Dilma

Senador tucano rejeitou requerimento do líder do governo; ministra terá que explicar dossiê no Senado

CIDA FONTES, Agencia Estado

15 de abril de 2008 | 18h38

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), anunciou nesta terça-feira, 15, que vai reapresentar requerimento na Comissão de Infra-Estrutura, na quinta-feira, quando a Comissão volta a se reunir, para tornar sem efeito a convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para falar sobre o vazamento de dados do suposto dossiê dos gastos do ex-presidente Fernando Henrique e sua mulher, Ruth Cardoso. O presidente da Comissão, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), rejeitou mais cedo iniciativa semelhante de Jucá.   Veja também:   Vazamento de dossiê contra FHC abre guerra dentro da Casa Civil Dossiê FHC: o que dizem governo e oposição PF pede a governo dados sobre segurança da Casa Civil PF abre inquérito para apurar vazamento de dados de FHC Dossiê com dados do ex-presidente FHC  Entenda a crise dos cartões corporativos  "Esse assunto não é tema da Comissão de Infra-Estrutura", insistiu, ao sair de reunião de líderes partidários no gabinete da Presidência do Senado convocada para discutir a pauta de votação da Casa. Foi uma reunião tensa, por causa da nova convocação da ministra Dilma, relataram participantes. Jucá e a líder do PT, Ideli Salvatti (SC), enfatizaram que a ministra da Casa Civil não vai falar sobre o suposto dossiê na Comissão de Infra-Estrutura e acentuaram que o caso do levantamento transformou-se numa guerra política entre governo e oposição.A oposição deixou a reunião afirmando que o governo quer evitar a todo custo a convocação de Dilma. "O governo não quer que Dilma fale sobre o dossiê", declarou o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). "A convocação virou uma queda de braço", rebateu o líder do PSB, senador Renato Casagrande (ES).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.