Jucá diz que negocia abrandamento da CPMF no futuro

O líder do governo no Senado, senador Romero Jucá (PMDB-RR), informou hoje que iniciou conversas com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para "o abrandamento da cobrança da CPMF" no futuro. Uma das alternativas seria a redução gradual da alíquota ou da carga de outros tributos, como a folha de pagamentos do INSS das empresas. Segundo ele, o ministro está estudando as alternativa de abrandamento da proposta, mas disse que pessoalmente, ele (Jucá) prefere uma redução gradual da alíquota.O senador afirmou que o assunto foi discutido em reunião hoje com Mantega, no Ministério da Fazenda, e será tema de discussão nesta tarde em reunião do relator da proposta de emenda constitucional que prorroga a CPMF até 2011 na Câmara dos Deputados, Antonio Palocci (PT-SP), com líderes dos partidos da base do governo no Senado Federal. "Queremos construir uma alternativa ao relatório, que possa indicar no futuro um abrandamento da cobrança da CPMF", disse Jucá. Segundo ele, a alternativa seria incluída no relatório de Antonio Palocci na Câmara, depois de negociada com o Senado. Esta estratégia facilitaria a tramitação da proposta de emenda constitucional, devido aos prazos reduzidos.O senador reconheceu que o governo está preocupado com a tramitação da proposta para a CPMF no Senado. "Conversamos (com Mantega) sobre a dificuldade de votação no Senado Federal", afirmou Jucá. De acordo com o senador, lá o equilíbrio de forças é muito "complicado". "Não temos maioria", disse o líder. Segundo ele, por isso é preciso construir um entendimento com os partidos da base do governo e da oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.