André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Jucá diz estar tranquilo sobre qualquer investigação

Procuradoria pediu nesta sexta que o ministro do Planejamento seja investigado na Lava Jato e o STF autorizou quebra de seus sigilos bancário e fiscal em outro inquérito

Adriana Fernandes, Eduardo Rodrigues e Rachel Gamarski, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2016 | 21h12

BRASÍLIA - O ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse que está tranquilo em relação à decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) de autorizar nesta sexta-feira, 20, a quebra do seu sigilo bancário e fiscal. Jucá enfatizou que, se não tivesse tranquilo, não teria assumido a presidência do PMDB e “comprado a briga” pelo afastamento da presidente Dilma Rousseff do cargo.

“Sabia dos ataques que ia receber”, afirmou. O ministro disse que apoia a Operação Lava Jato e o juiz Sérgio Moro. Jucá ressaltou ainda que ajudou na recondução do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. “E eu apoio tudo isso”, disse. “Qualquer servidor público deve ser investigado, não há demérito em ser investigado. Demérito é ser condenado”, acrescentou Jucá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.